O RETORNO DAS PÉROLAS

Este blog já contou mais gracinhas dos meus filhos, eu sei… Mas a verdade é que as coisas acontecem tão rápido e eu corro lá no Twitter, pelo celular mesmo, para não deixar de registrar as “pérolas”. Criei vergonha na cara e vou copiar e colar tudo para cá. Aproveitem, divirtam-se e um excelente feriado a todos!

Dê sua opinião também » 6 já comentaram.


A GRACINHA ENGRAÇADÍSSIMA

Eu costumo comentar por aqui a complexidade da relação dos gêmeos univitelinos, as surpresas e emoções que vivencio como mão desses dois molequinhos.

Pois agora, a menos de 10 dias de completarem 4 anos, desenvolveram uma particularidade um tanto irritante (tô sendo delicadinha aqui, afinal sou a mãe deles…).

É assim: a maior bobagem do mundo torna-se a coisa mais engraçada da face da Terra. Já que é tão engraçado assim, gera ataques de riso, que o fazem segurar os respectivos pipis, numa tentativa de não fazer xixi na calça. Mas, não resolve e o xixi escapa.

Domingo à noite, de dentinhos escovados e pijaminhas limpinhos, acharam uma touca de natação antiga em uma gaveta, colocaram na cabeça, morreram de rir e o Pedro fez xixi no tal pijama cheiroso. Aprendi uma técnica que consiste em não ajudar uma criança dessa idade que deixa o xixi escapar assim a se trocar. Não sei se acho bom, se concordo ou mesmo se funciona, pois a idéia é fazer a criança perceber que dá muito mais trabalho trocar calça, cueca, meia e etc do que correr no banheiro para fazer xixi. Honestamente? Não tem funcionado com esse propósito, mas funciona com outro: o de me permitir alguns minutinhos para me acalmar e depois conseguir conversar como mãe, adulta, responsável e compreensível que eu devo ser.

Então, rolou a palhaçada da touca, um xixi, menino se trocando sozinho, mãe se acalmando, menino com a calça que não ornava com o pijama e uma conversa madura entre uma mãe e um filho.

DEZ MINUTOS DEPOIS, O MESMO PEDRO DEIXOU ESCAPAR OUTRO XIXI. Não me perguntem qual foi a gracinha, só sei que quase mandei o menino tomar um banho de água fria para que eu pudesse me acalmar e conversar decentemente, sabe?

Menino trocado, calça ornando menos ainda, uma mãe calma, calmíssima que senta o menino no colo e faz a pergunta:

- Filho, o que é que está acontecendo? Você acabou de fazer xixi na calça, a gente conversou e tal, porque fez de novo?

A resposta em formato de choro sentido e magoado, com um bico de fazer gosto em papagaio:

- É porque eu não quero crescer! Eu não quero fazer 4 anos, eu quero dar todos os meus brinquedos e ser nenê de novo.

Caras leitoras, acrescentem uma outra alternativa para mim, se for possível:

a)      Volto eu a ser nenê,

b)      Passo o resto da minha vida deitada no divã do melhor psicanalista que puder encontrar ou

c)       é só inferno astral. Em menos de 10 dias, passa.

Dê sua opinião também » 8 já comentaram.