A campanha para um cachorro, ou a hashtag #manuelajoaquimepedromerecemganharumcachorronessapascoa

Eu me lembro de ter afirmado categoricamente (e muito mais de uma vez!!) que seria mais fácil eu ter outro filho do que ter algum bicho de estimação em casa, gato ou cachorro. Também me lembro, aos 6 anos de idade, do dia em que os meus pais se separaram.

Pouco tempo depois do meu pai ter saído de casa, vejam só: ele nos compensou presenteou com um cachorro. Era um cocker spaniel pretinho, coisa mais linda do mundo. Tinha as orelhas compridas, maiores do que tudo e que precisavam ser amarradas na hora de comer, senão ficavam imundas de comida! A coisa mais linda do mundo foi batizada com o nome que seria o meu, caso eu nascesse menino: Bernardo (desculpaí, Bernardos não caninos…).

É lógico que a minha mãe estava de acordo com o presente dado pelo meu pai, afinal imagino que ambos quisessem nos compensar presentear. Mas o presente durou pouco, acho que uns 3 meses, e logo foi doado por motivo de bagunça, sujeira, barulho e todas as outras coisas que só um cocker bebê é capaz de causar.

Continuando no modo compensação, saiu Bernardo e entrou um cachorro de pelúcia para cada uma das filhas. Fofo, é claro, mas, né?! Sobre a pelúcia, tá guardada no fundo de algum maleiro aqui de casa, sobre o Bernardo, nunca soube.

Passado esse trauma momento da minha vida, tive mais 2 cachorros durante a minha adolescência. Um, pequeno e peludo, na casa da minha mãe. Outro, grandão e de pelo curto, na casa do meu pai. Confesso que nunca consegui me afeiçoar a eles como era o esperado. Ou como era com o Bernardo.

*****

Outro dia, em uma sexta-feira à tarde, fiz uma pausa para um cafezinho e engatei numa conversa com a fofa e querida que trabalha aqui em casa. Não sei como a conversa rolou, até que ela me disse:

- Dona Camila, a senhora precisa dar um cachorro para as crianças!

A minha cara de espanto não a impediu de continuar defendendo a tal sugestão: falou sobre como cuidar, limpar, passear, educar o bichinho, se ofereceu para ajudar com absolutamente tudo, inclusive para ficar com o cachorro caso eu precise sair ou queira viajar. Rolou café, lanchinho, sobremesa e a conversa mais improvável da minha vida terminou com a idéia fixa de dar um cachorrinho para as crianças. Como estávamos indo viajar naquela noite, pensei em aproveitar as 2 horas de viagem para convencer o Maridinho.

Obs: a conversa foi absolutamente imparcial, ou vocês acham importante considerar o fato da fofa e querida estar grávida e inundada de hormônios gravídicos enlouquecedores? Ou seria uma crise de abstinência, já que eu, orgulhosamente, havia parado de tomar Coca-Cola há poucos dias?

Enfim, entrei no carro, esperei as crianças capotarem e comuniquei:

- A gente precisa ter uma conversa séria.

Maridinho deve ter tremido da cabeça aos pés, já que as minhas conversas sérias costumam ser piores do que as minhas TPMs.

- Fala, Camila.

(Ele não é fofo??)

Fui direto ao ponto:

- Acho que a gente devia dar um cachorrinho para as crianças…

A resposta veio através de uma longa e alta gargalhada, para em seguida confirmar:

- NÃO!

Maridinho elaborou uma lista com mais de uma dúzia de motivos para NÃO darmos um cachorrinho para as crianças. Mas esboçou um sorrisinho de canto de boca quando eu contei que havia imaginado a cena das crianças ganhando o cachorrinho (que até nome já tem!). Imaginei que o Coelho da Páscoa não traria ovo de chocolate esse ano, mas deixaria uma cestinha com um cachorrinho. Não seria lindo? Cer-te-za de que o Maridinho também curtiu a idéia.

*****

Então, o negócio é o seguinte: eu não tenho lá grande repertório “cachorrístico” para convencer o cara  e acho que a união faz a força. Vocês me ajudam? Deixem aí nos comentários dicas e sugestões de raças de cachorro para ter em um apartamento com 3 crianças e carpete claro (ui!). Novamente, reforcem aquela parte toda do cuidar, educar, limpar, não deixar destruir, morder sapatos e comer os pés das cadeiras da sala de jantar. Podem sugerir adoção também, curto bastante essa idéia! Só não sugiram comprar o cachorro escondido e levar para casa, apostando que isso vai amolecer o coração do meu Marido, não funciona e dá divórcio! Menos ainda mandar cachorro de presente, hein?! Ah, e é lógico, quem tiver exemplos da coisa linda que é a relação entre as crianças e seus bichinhos de estimação, me contem e me façam chorar!

(Ou, fiquem à vontade para dizer que eu realmente estou louca e sofrendo de abstinência de Coca-Cola.)

Grata, gratíssima!!!

Quem merece ganhar um cachorro levanta a mão!!!

Quem merece ganhar um cachorro levanta a mão!!!

Dê sua opinião também » 29 já comentaram.


  • Ana Carolina Garcia dos Santos

    hahahahah!!!!

    seguintes… eu sou super, ultra a favor de crianças e caninos convivendo todo dia, toda hora, todo o sempre.

    em casa temos duas gracinhas que não só se tornaram belos exemplos pro isaac como também podem aprontar o que quiserem que tem um defensorzinho de 4 anos pra defendê-los em tudo.

    isaac ainda não captou toda a noção de responsabilidade sobre limpar, mas me acompanha ao veterinário, fica atento às mudanças de comportamento do iron (velhinho, já com 10 anos) e quase os mata de amor e carinho.

    além de amar os passeios que fazemos.

    sobre raças, temos dois schnauzers mini. o comportamento deles é de cachorro pequeno, são irritáveis mas não irritantes (como seus primos pinchers), super carinhosos e inteligentes ao extremo. a maravilha master da raça é que o pêlo “arame” não cai. simples. os dois tiveram duas trocas de pelo em toda a vida e agora sei lá como fazem, mas pêlo não se acha por aqui.
    e pra apartamento recomendo fêmea. são infinitamente mais limpas. enquanto iron tem um banho que dura meio dia, keith fica limpa por semanas.

    sei que em apartamento é complicado, sei que dá trabalho, mas é tudo de bom.

    ah! viralatinhas tbm são ótimos, mas o problema é o fator surpresa. quando adotamos nunca sabemos que tamanho vai ficar. e pra apartamento isso é muito complicado.

    sobre sua historia com bernardo, tive uma parecidíssima com uma cocker caramelo, chamada candy.

    bjooooo

  • Martina

    Olá!
    Acho que você tem que estabelecer vários critérios antes de escolher, porque cães adequados para apartamento tem vários e bom comportamento depende mais da maneira com que o filhote for treinado (até mesmo um beagle, a raça mais desordeira que eu já vi, consegue se sair bem se for criado adequadamente). É preciso saber quanto vocês podem gastar por mês (quanto maior o cachorro, maior o gasto), se há tempo disponível para passear com o bichinho, se há pessoas alérgicas em casa, etc. Assim, sem saber de nada, o máximo que eu posso dizer é PESQUISE bastante. E se for adotar um SRD (sem raça definida), prefira um adulto porque eu já vi muitos casos de filhotinhos minúsculos, que todo mundo dizia que não cresceria, virar um bichão enorme de 40 quilos.

    E quanto à história, ganhar um cachorrinho foi a melhor coisa da minha infância. Ele foi realmente meu melhor amigo, até o fim, e me ajudou a crescer como ser humano. Nós descobrimos que ele tinha epilepsia quando ele tinha só três aninhos e o veterinário garantiu que, mesmo com o tratamento (do qual ele ficaria dependente pelo resto da vida) ele não chegaria aos seis anos, possivelmente sofrendo muito, e recomendou eutanásia. É claro que nós não fizemos nada disso. Eu aprendi a dar o remédio (tinha 12 anos) e cuidar dele, com carinho e paciência; adaptamos a dieta dele para controlar os efeitos colaterais (e isso me fez pesquisar muito sobre alimentação, já é uma coisa boa) e ele viveu feliz até quase dez anos. Era muito inteligente e carinhoso, e nos últimos dois aninhos ainda conseguiu superar todos os preconceitos que ele tinha a respeito de gatos quando nós adotamos um, provando que ele faria realmente de tudo pela família, até aceitar um novo membro bastante repulsivo (do ponto de vista dele, é claro).
    O comentário ficou enorme, mas espero que tenha sido bem útil.

  • Chico Friedrich Kpais

    Cachorro é tudo de bom Camila….vcs todos vão amar !!!!

    Acho que as melhores raças pra se ter é lhasa apso ou shih tzu….são de porte pequeno,muito educados e incrivelmente carinhosos….tenho um casal assim….o chico,um lhasa e a sol….uma shih tzu….

    Mas essa estória de que as crianças vão ajudar é coisa pra boi dormir,vcs os adultos terão que se virar sozinhos….crianças não ajuda em nada nesse ponto….

  • Andrea Nascimento Estorino

    Nossa Camila como voce e engracada adoro a forma como escreve ou melhor descreve os fatos, por exemplo na hora veio a imagem na minha mente seu marido tremendo quando voce falou pecisamos ter uma conversa seria … se fosse o meu teria batido o carro so de proposito…; kkkk

  • http://www.facebook.com/beatrizzogaib Beatriz Zogaib

    Cami querida, eu arrisquei ano passado e dei sim um cachorrinho todo fofo para o Léo, um lhasa apso. Posso te garantir que errei… rs Errei na raça (que, embora seja calma, é meio nervosinha e avessa à criança), no sexo (macho é o fim!) e na personalidade do canino (tem que ter a empatia querida)… Eis que eu quero ter outro, aumentar a família sabe? Acho que não é abstinência de coca-cola, é abstinência de filho pequeno!!! Vc deve estar passando por isso. Meus conselhos são; pense cinco vezes antes, informe-se sobre a melhor raça, lembra dos gastos (ração, vacina e tapetinhos higiênicos são só o começo), pense em onde vai deixar o bicho, no cheiro de xixi e outros que, claro, demoram um tempo para ir prar no lugar certo, etcetc. Não quero te desencorajar de forma alguma, mas quero que dê certo no seu caso. Porque no meu, amor, eu sofri horrores quando tive que tomar a terrível atitude de doá-lo… Sofri mais que o Léo! Se quiser saber detalhes do dia-a-dia e tudo o mais relativo ao cão, vai lá no blog: tag: cachorro. Beijos e melhoras dessa abstinência……..
    http://www.maedacabecaaospes.com.br

  • http://www.facebook.com/silvia.thomaz1 Silvia Thomaz

    Então Camila . . . . não querendo ser do contra sendo . . . . . vc está tendo abstinência de Coca-Cola, não que eu não goste eu gosto de cachorro, quando pequena tive vários em casa, todas as raças e tamanhos, hoje casada e dois filhos o Dan de 8 anos e a Gabi com 4, decidimos dar à eles um cachorrinho fofinho e bonitinho e aproveitamos para adotar uma filhote de Border Collie de um amigo nosso, pegamos a “Mel” ( esse é o nome dela ) com 40 dias depois de desmamar, hoje ela está com 1 ano e 9 meses, moro em uma casa grande com quintal, mais vou te falar que tudo que ela podia aprontar ela continua aprontando é isso mesmo ela continua aprontando,hoje mesmo cheguei com as crianças da escola e com esse calor a Gabi tirou o tênis e a meia dentro do carro e ao descer do carro deixou a meia cair no chão a Mel não pensou duas vezes e pegou a meia, e não deu tempo pra eu virar, ela já tinha engolido a meia . . . . não vou conseguir descrever tudo que ela já aprontou, claro que tem coisas bonitinhas e engraçadas, mas tem coisas perigosas, como comer as lâmpadas dos postinhos do jardim, detalhes que todo eles são parafusados no chão e ela conseguiu arrancar todos e comer as lâmpadas ( fiquem tranquilos as lâmpadas não causaram nenhum mal pra Mel ) só pra mim, que agora além de sair correndo pro pediatra quando as crianças estão doentes, tenho também como nesse caso com a Mel, sair correndo desesperada pro veterinário, fazer exames e tudo que possa imaginar. Desculpe, por não incentivá-la . . . . .essa coisa de viajar também é crucial, essa estória que ficam com o seu cachorro quando você precisar, tudo bem fica uma duas vezes, mas quantas vezes vocês viajam por ano ?! . . .por quantos anos ? . . . . você acha mesmo que isso funciona ? Hoje eu sei que pra se ter animais de estimação você precisa ter ” o Dom ” , infelizmente no meu caso eu não tenho, já cogitei de doá-la mas as crianças e o Jú acabaram me convencendo ao contrário. Assumi essa responsabilidade e vou cuidar da ” Melzinha ” ( como a Gabi fala ) porque ela é uma fofa e as crianças à adoram. Não adianta . . . . a gente sempre acha que com a gente vai ser diferente, por mais que as pessoas avisem. Pra não ficar repetitiva faço minha as palavras da Beatriz Zogaib. Boa sorte na sua decisão mas tenha certeza que está preparada para as coisas boas e não tão boas assim . . . . . adoro todos os seus textos, bjs

  • Viviane

    VOCÊ ESTÁ LOUCA. Lembre-se que a responsabilidade de cuidar, levar na rua, dar comida, banho será toda sua depois dos 2 primeiros meses da novidade. Hahahahahhahahah…repito com carinho: VOCÊ ESTÁ LOUCA! Beijão.

  • Carol

    rsrs eu sou pet Lover e acho que um vira latinha adulto é o ideal! Vira latas não ficam doentes, são super carinhosos e mais velhos, não tem esse afã de morder tudo e todos pela frente! se mesmo assim ele cismar em morder algo, é só comprar sprays de gosto amargo que eles param na hora!!
    bjoks e boa sorte!
    Carol
    http://www.meuparasita.com

  • Chris

    Camila, sem querer lhe desanimar… Eu moro numa casa que tem um quintal bacana. Adotei uma cadela vira-lata. Uma querida, dócil, brincalhona… Estou com ela há 7 meses e já anunciei para doação em todos os sites disponíveis… Ela tem pelos curtos e só fica do lado de fora da casa, mesmo assim, a casa vive cheia de pelos. Ficamos “presos” quando queremos viajar. Sem falar na trabalheira e nos gastos com veterinário, ração, brinquedos, etc… E as crianças adoraram quando chegou a cadelinha. Brincavam muito no começo. Agora que a novidade passou, mal dão atenção pra coitadinha. Eu tenho que cuidar, tratar e brincar sozinha. Não estou mais dando conta.
    Bom, essa é a minha experiência….
    Bjs

    • http://www.facebook.com/eduardoecamila1 Eduardo E Camila

      Jura? Tu adotou um cachorro, fez ele se acostumar com a tua presença, e juraaa que tu achou que cachorro não solta pelo, não fica doente, não come, não requer atenção? Doa mesmo, quem sabe ela ache uma família merecedora de ter um cão. Gente como você precisa ter BICHO DE PELÚCIA.

  • http://www.facebook.com/roberta.ramosmello Roberta Ramos Mello

    Doida doidinha! Abstinência de Coca Cola, certeza! Cachorro e apartamento não dão certo. Tem tudo o que pessoal já falou, todos os gastos e afins. E vai sobrar pra você, eu acho que é melhor dar mais um irmão pra essa turminha do que um cão. Eu AMO cães, adoro o carinho incondicional, mas não o teria pra ter mais trabalho não.

    Boa sorte na decisão.

  • Adriana Matielo

    Camila, oi, não sei se você lembra desses detalhes da nossa infância, rs, mas minha casa sempre foi um zoológico! Tinhamos 3 cachorras – fêmeas, sempre, que era pra não cruzar e nunca dava certo pois as danadas pulavam o portão – 2 gatas, periquitos, hamster e jabuti. Sim, minha casa, um zoológico! E a gente amava! Verdade que não ajudávamos muito, isso veio com o tempo. Acho que eu comecei a dar jantar pros cachorros ja tinha meus 8 anos, e limpar o quintal era só nos fins de semana. Não gostava dessa parte mas sempre amei os bichinhos. Chorei horrores quando mudamos para um apto e não pudemos levar nossos queridos. Meus pais chegaram a levar eles para um sitio na promessa que os pegariamos de volta quando nos mudassemos para uma casa com quintal de novo e foi a unica coisa que me acalmou. E eu me apeguei a isso de tal forma que cobrei o fato quando aconteceu – e ai, anos depois de enrolação, meus pais já nem sabiam mais do paradeiro das cachorrinhas.
    Em apto, de verdade, gatos são bem melhores. Mas sou suspeita pois gosto muito de gatos. Mas existem raças bem boas para se ter em apto e com crianças pequenas. Falaram do lhasa apso mas não acho uma boa não pois eles são meio avessos as crianças pequenas quando adultos. Pegando de filhotinho você talvez não passe por isso, e eles são calmos, latem pouco. Mas tem muito pelo… Uma recomendação que recebi e tenho visto dar bastante certo são os Pugs. São pequenos, quietos, resistentes e brincalhões e tem pelo curto. Fuja de Beagles pois eles roem a casa inteira mesmo nos 2 primeiros anos de vida. E vira latas tem a vantagem da longevidade e da boa saúde.
    Muitas pesquisas apontam as vantagens da relação criançasXanimais de estimação, pois ensinam respeito, amor, responsabilidade, além de ajudar no sistema imunológico.
    Sou a favor e uma entusiasta!
    Aqui temos um Lhasa apso bem velhinha que a Beca ama mesmo sem conseguirem brincar juntas. Acho que isso tem a ver com a personalidade da criança mais que outra coisa. Mas o amor entre eles é lindo de ver. Agora quero acertar a vida pra poder dar um filhotinho pra Beca com quem ela possa correr e brincar. Por que ajudar a limpar a sujeira ela já faz! rs

    Bjs
    DI Matielo

  • http://www.mamaetaocupada.com.br/ Mamãe tá Ocupada!!!

    Gente, sem palavras para agradecer os comentários! Desde os q me chamaram de volta para a Terra e acham q eu estou louca, até os q compartilharam histórias e experiências com os bichinhos! Saibam q todos os comentários são válidos e importantes, obrigada mesmo! Por enquanto, continuamos na mesma indecisão…. Mando notícias! Super beijo!

    • http://www.facebook.com/eduardoecamila1 Eduardo E Camila

      Bom, Camila, também sou Camila hehehe E sou uma cachorreira incurável :) E não quero me curar dessa ”loucura”. Bom, ter cachorro em apartamento não é loucura. Vou contar minha exp com animais pra te dar uma ajuda. Eu fui criada em casa, sítio, sempre tive cavalo, papagaio(sim, papagaio!), tartaruga, gatos e mais gatos(chegamos a ter 16 gatos) e muuuuitos cachorros. Minha infância não poderia ter sido melhor, dormia com os cachorros, andava com os cavalos, morava em uma casa com um quintal enorme… E aí um dia nos mudamos para um apartamento(o qual eu moro hoje, nos mudamos ano passado). Não consigo me acostumar com apartamento porque sempre morei em casa, mas tudo bem. Mudança não é motivo pra se desfazer de bicho. É claro que ouvi muitos dos comentários, os mesmos que fizeram pra ti aqui: ”Você é louca, e a sujeira, e a bagunça, e blablablabla.” Bom, minha mãe criou eu e a minha irmã e mais um moooonte de bicho junto, e… surprise! A casa estava sempre limpa, nossos bichos sempre cheirosos e de banho tomado, não podia ser uma missão impossível, né? Tendo em vista que ainda não tenho filhos. E eis que não é nenhuma missão impossível. Hoje eu moro em um apartamento com os meus 7 filhos peludos, cachorros, gatos e hamsters. Trabalho? Sinceramente não muito. Gosto de caminhar pela manhã, logo, inclui os peludos na minha caminhada, nada demais. Temos empregada doméstica, ela passa aspirador de pó todos os dias, ou seja, é muito, muito raro ver pelos espalhados pela casa. Destruição de móveis? Talvez por eu ter nascido amante dos animais sei lidar muito bem com eles, NUNCA tive problemas com isso. Comprei ossinhos para os cachorros e um arranhador para os gatos, problema resolvido, ninguém rói/destrói nada por aqui. Cheiro ruim? Ah quem comentou que bicho fede que me desculpe, mas isso é coisa de dono porco. Os meus aqui tomam banho toda semana e estão sempre cheirosos, os gatos e os hamsters uma vez por mês. Casa suja? Mais uma vez, isso é coisa de dono porco. É só ter responsabilidade e higiene. É muito simples, siga a sua rotina de limpeza diária da casa e não terás ´problemas com cheiro. O problema é quando a pessoa resolve limpar a casa uma vez por semana. Veja bem, aqui é um comentário de uma pessoa que mora em APARTAMENTO COM SETE ANIMAIS E DIZ QUE NÃO DÁ TRABALHO! E não dá mesmo, se queres saber criança dá bem mais trabalho. Outro ponto importante a se considerar: bicho late, mia, brinca, chora. Então se for pra ter pense bem, eles podem viver até VINTE anos. Você se compromete a ficar com eles até o fim da vida ou vai doar na primeira latida fora do horário? Eu particularmente não to nem aí, os meus nem latem, e se latirem e alguém reclamar a dona aqui vira uma leoa, porque pago condomínio igual todo mundo. Felizmente aqui todo mundo tem cachorro, gato, e ninguém reclama.

    • http://www.facebook.com/eduardoecamila1 Eduardo E Camila

      Ah, esqueci de falar… Não esqueça também que existem milhões de animais precisando de um lar! Chic mesmo é adotar um vira-lata.

  • http://www.facebook.com/kellyresende Kelly Resende Borges

    Eu acho que cachorro e criança tem tudo a ver. MASSSS é super importante estar bem ciente de todo o trabalho que ter um cachorro principalmente em apartamento envolve, e vale lembrar um aspecto geralmente esquecido e que pra mim é mto importante: o bicho tb tem sentimento! Muita gente adota, ou pior, compra um animalzinho e depois qdo ve que dá trabalho abandona, ou doa pra qq um que apareça pela frente. Enfim, tem que ser um ato bem consciente!

  • Suzana Oliveira Carneiro

    Oi, Camila! Então, eu venho reforçar o coro: pensem muito, muito mesmo! Vou colocar os dois lados da moeda. Não tenho filhos ainda, mas acredito que a relação entre crianças e animais seja bastante saudável, tanto do ponto de vista psicológico quanto físico. Já li a respeito de que o convívio com animais na infância diminui o desenvolvimento de alergias, entre outras coisas. Vejo a relação dos meus sobrinhos com seus bichinhos (3 cachorros e 3 gatos) e noto como realmente existe muito carinho entre eles. Por outro lado, um bichinho dá muito trabalho, acredito que até mais que uma criança. Em casa tivemos um gato que viveu uns 5 anos, eu acho, e depois morreu envenenado. Foi um chororô danado, pense. Depois disso prometemos que não teríamos mais nenhum bicho em casa, até que minha irmã, já com 17 anos, apareceu com um cachorrinho em casa. A coisa mais linda do mundo, uma bolinha de pêlos de 2 meses. Relutamos bastente pra aceitar, mas ela bateu o pé e ficamos com ele. Isso já tem quase 12 anos. Nesse tempo o Richard desenvolveu epilepsia, ou seja, toma remédio controlado todos os dias 2 vezes ao dia. Tem sempre que ter alguém em casa pra dar o remédio. Ele precisa passear 2 vezes ao dia, pelo menos. Como já está velhinho, está caducando, chora à toa, sem motivo, late sem motivo, está cego de um olho e não escuta nem fareja mais tão bem como quando era jovem. Nesses 12 anos, nós lá de casa nunca fizemos uma viagem todos juntos; sempre precisa ficar alguém tomando conta dele. A única vez que tentamos, deixamos ele num hotelzinho e foi um desastre. Outra coisa que reforço, conforme outros comentários, é que o Lhasa Apso não é uma raça boa pra crianças. O Richard é completamente avesso à crianças.

    Nossa, o comentário ficou enorme, mas resumindo, acho super válida a relação de crianças com pets, mas tem que pensar muito em todas as consequências, nos gastos, nos aborrecimentos, estar preparada pra algumas noites em claro no primeiro dias, milhares de xixis e cocôs nos lugares mais inapropriados, alguns bons sapatos roídos, móveis destruidos etc., etc.
    Boa sorte pra vc na sua decisão.
    Adoro seu blog!
    Beijos,

    Suzana

  • http://www.facebook.com/alessandra.colinsdeoliveira Alessandra Colins de Oliveira

    Eu amo animais, mas acho que em apartamento e com três filhos o melhor seri um gatinho ou gatinha. Eles fazem as necessidades no local próprio sempre, já nascem sabendo. São calmos, dóceis e não precisa levar pra passear, não ficam pedinod atenção o tempo todo. Só tem que comprar um arranhador para não ter problemas, pois eles gostam. Se tu pegar um filhotinho ele vai crescer acostumado com as crianças e vai amar elas, desde que não seja maltratado. A minha gata ficava até cuidand e cm ciumes quando alguém legava a Bela no colo quando era bebe. Bela dormia no carrinho e a gatinha na cestinha embaixo dele. Um amor!

  • Ilana

    Camila, não li os outros cometários, mas vou deixar minha opinião de enxerida.
    Aqui o cachorro chegou antes dos filhos, e sempre foi tratado como o primogênito da casa. A gente ama ele loucamente, mas dá um trabalho do cão (desculpa o trocadilho rá). São 3 passeios por dia, alimentação, banhos, cuidados quando ele fica doente e a atenção que, quando a gente não consegue dar direito (um bebê, uma criança pequena, muito trabalho e cansaço), ele fica super chateado.
    Eu sou super a favor e acho uma ótima companhia pra criança – principalmente no caso de maiorzinhos, como são os seus. Mas se você nunca pensou nisso antes, estuda bem pra não fazer uma compra/adoção irresponsável e devolvê-lo depois. (Fiquei morrendo de dó do Bernardo…) É muito bom, mas tem que estar muito afim.
    Ah, o Chicão é maltês. Raça pequena boa para apartamento, que apesar do pelo longo não troca pelagem como outras raças (sua casa continua limpa :) ). Mas tem paciência limitada com crianças, gosta de latir e alguns, tipo o meu!, são briguentos com outros na rua.
    Se algum dia eu for pegar outro, provavelmente será um vira-lata de adoção.
    Beijos

  • Maria Luiza

    Ganhei meu primeiro cachorro aos 10 anos, hj tenho 3 num ap!!! Olha, dá trabalho, muuuuuuuuuuuuito trabalho! Destroem, fazer cocô e xixi por toda a parte e etc… Mas eu adoro!

    Aconselho vc a adotar um de algum abrigo. Já vem castrado, vacinado e vc tem como saber qual a personalidade que ele tem.

    Maaaas, como sou totalmente apaixonada por vira-latas sou suspeita. Tenta um Bulldog Inglês, resistente, forte, bobão ou um Beagle, que é ótimo para crianças ativas (mas esse quando filhotes precisa sempre de supervisão pelo instinto mastigador) e etc… Tenta não recair nas raças “peludinhas, fofinhas com carinha de coitadas”. Além de serem frágeis pelo tamanho, tendem a não apreciar brincadeiras brutas, típicas de crianças pequenas e “apertentas” de cachorrinhos.

    Enfim, boa sorte!!!

  • Dani Consuelo

    Kkkk sou cachorreira! Tenho dois, um shit zu e um buldogue francês, ambas as raças são incríveis pra quem tem criança em casa além de lindos…sao super dóceis, eu já tive um monte de vira latas, e se derrepente eu encontrar uma na rua que eu me apaixone quem sabe….mas eu sei q tem uma corrente de gente dizendo q amigo a gente tem que adotar nao pode comprar e blá blá blá, o fato é eu gostos dos meus cães de raça nao curto muito vira lata e ponto então minha opinião é políticamente correto é o q manda seu coração…então pense muito muito bem, muito bem! Pq da um trabalho danado, sujeira, pelos, xixis, cocos, banhos e cuidados sem fim! Cachorro eu concordo com a propaganda: é tudo de bom! Mas eu Daniela queria te dizer o seguinte, caso adote ou mesmo compre ganhe ou o que quer que seja, depois do bichinho na sua casa ele faz parte da sua família, eles amam a gente como se fosse a família deles, e gente, ops cachorro é alguém da família, então minha amiga, com cachorrinho na sua casa nao pode voltar atras! Ele é seu até a morte!e pode durar 15/20 anos….e saiba mais de uma mãe que queria cachorro pras crianças…bullshit, o cachorro é da mãe e do pai, eu sei que a gente tem a doce ilusão do compromisso e responsabilidade deles, aqui em casa esses atributos sao meus e do meu marido….
    Ah desculpa falei tanto…

    Bj

    Boa sorte

  • http://www.facebook.com/gabi.santana.2012 Gabriela Santana

    Camila, ainda não tenho crianças. Nala (uma maltes) veio para adiar um pouco a vinda do bebe! Ela simplesmente mudou a vida de todos! Dá trabalho, gasta e as vezes pergunto o que eu fui arrumar. Mas simplesmente todo o trabalho é esquecido nas bricadeiras, nos carinhos. Ela não curte muito crianças, mesmo assim meus primos pequenos são alucinados com ela. Acho que toda criança merece ter um amor assim, uma companhia assim. Nala tem um instagram (nala_maltes). Visite! Vc vai ver o tanto que é deliciosa. Outra dica, docedeleitefotografia. Eles tem cão e gato! Lindos! O amor entre eles e as criancas é sensacional! Inspirador!

  • Rodrigo

    Campanha para o quarto filho você não faz, né?

  • Cris Moreira

    Camila, meu conselho é: pense bem. Também acho a ideia linda na teoria, afinal toda criança adora cachorro, mas é uma responsabilidade e tanto e uma trabalheira – que vai sobrar muito pra vc, pois as crianças por mais que tentem ajudar ainda não tem maturidade pra assumir todas as tarefas. Eu particularmente tenho um pouco de dó de cachorro de apartamento, acho que ter um quintal é sempre bom pra que possam ficar mais à vontade. Já pensei muito no assunto mas o que me brecou foram um marido que não quer nem ouvir falar do assunto, e uma faxineira que ameaçou me deixar caso tivesse que limpar sujeira de cachorro. O marido até dobraria, mas ficar sem minha ajudante – que é ótima, adora meus filhos e é super de confiança – nem pensar!
    Boa sorte aí!

  • http://www.facebook.com/natalialippolis Natalia L. P. Almeida

    O trabalho maior será a parte do condicionamento das necessidades… vai rolar vários xixis no carpete, rsrsr… isso é o pior q pode acontecer… Legal ter a disposição pra levar pra passear uma vez por dia tb… enfim..

    Marido da Camila Ocupada: vc vai ficar apaixonadíiiiisimo pelo seu filho canino… muito do stress diário se esvairá ao simples olhar desse bicho chamado cachorro.

  • vivi.ligadosesmaltes

    Já pensou em gato? Acho muito mais simples, veja só: não precisa de banho semanal, nem de passeios diários, não fazem xixi no carpete, pois usam a caixinha de areia e são tão carinhosos qto o cachorro. Já tive os dois, mas acho que gato se adapta bem a apartamento. E esqueça isso que falam que gato não se apega ao dono. Apega sim… e, a depender do temperamento, tem uns q brincam até de pegar a bolinha qdo jogamos, assim como os cães.

    Fica a dica. rs

  • http://www.facebook.com/PatthyPotter Patricia Alves Rodrigues Figue

    Minha filha tem um Yorkshire, o Millou, porque queria muito (pediu mais de um ano) “um cachorrinho ‘piquininho’ de ‘machuquinha’ (maria chiquinha)”, comprei com o último din-din que eu tinha e sem consultar a opinião do marido rsrsrsrs, dei a notícia a queima-roupa durante almocinho romântico kkkk (acho que ele quis me matar, mas não faria isso com a dona onça), mas tenho que confessar: me arrependi, York é fofo e talz, mas não dá certo para apartamento por causa do pelo ele fica muito fedido, ainda mais macho (a urina fede muito mesmo). Como dica prefira as fêmeas (elas aprendem as coisas mais rápido), prefira cães de pêlo curto (mais fácil de cuidar, de dar banho e não precisa escovar diariamente), pesquise o temperamento do animal com criadores, veterinários e sites especializados.

    Tivemos um casal de dachshund e eles (pelo menos os nossos) não são de latir, são bem disciplinados, são inteligentes e aprendem rápido, gostam de crianças.

  • Priscila

    Camila,

    Tenho um bebê de 10 meses (filho meu, que saiu de mim) e uma outra filha que completa 3 anos dia 04.04, a Laila Maria – Minha filha de Patas. Ela é uma linda labrador, muitooooo dócil com o Guilherme, protege ele, me chama quando ele chora, brincam juntos, extremamente cuidadosa quando ele esta próximo a ela, super boazinha, não faz sujeira em lugar errado, saímos pra passear e ela não sai puxando a coleira, enfim, ela é minha filhota !

    Porém até ela completar uns 10 meses/1 ano, era muito arteira, ela comeu 18 sifões do meu tanque, perdi a conta de quantos rodos, vassouras e afins, porém ela sempre foi muito carinhosa, sempre dormiu na casinha dela (no quintal), quando a comprei ela tinha 28 dias, eu puxei vários dos dentinhos de leite dela e tenho todos eles guardados. Seria capaz de ficar uma noite toda aqui escrevendo sobre a Laila Maria, mas se tenho uma dica para lhe dar é – Tenha um Labrador, sempre preferi fêmea pois me diziam que macho gosta de “marcar território” (sair fazendo xixi em todo lugar, não é legal).

    Super boa sorte pra vocês !

    Priscila.

  • http://www.facebook.com/misuri.chan Bruna Aleixo

    Eu tenho um shitsu, ele é SUPER amável e dócil, é um ótimo cachorro, por ser pequeno é perfeito pra apartamento.
    Se você tiver paciência pra ensinar a ele o lugar dele fazer as necessidades dele, eles entendem super bem e sabem aonde devem fazer.
    O meu não destruiu nada (algumas mordidas em chinelos havaianas a gente releva né?).
    O contra é que ele é MUITO peludo e demanda bastante cuidado, principalmente com as orelhinhas, que por ficarem abafadas, geralmente dão infecção.
    Caso você não queira ele peludão da pra fazer a tosa filhote.
    Ah, mas é importante ressaltar que um cachorro (qualquer que seja) dá muito trabalho, tem sentimentos, e eles são ‘crianças’, então tem que dar o tempo deles aprenderem o que você quer, na base do amor e carinho.
    Essa é uma decisão que tem que ser muito pensada, pois não pode dar o bicho depois, porque eles tem sentimentos e sofrem com a ausência dos donos.
    Espero ter ajudado.
    Beijos Bruna (que segue seu blog a eras sem se manifestar rs)

  • Pingback: O feedback do cachorro e a outra campanha | Mamãe tá ocupada