Canja de galinha não faz mal a ninguém

Nessa segunda-feira, o grande dia da volta às aulas (a mãe que não comemorou que atire a primeira pedra!), o despertador tocou e eu xinguei feio. Afinal, tinha motivos: o barulhinho irritante interrompeu um sonho incrível em que eu estava entregue aos cuidados e mimos de um cabeleireiro caro, fresco e high tech (interpretações são desnecessárias aqui).

Ju-ro que não estou me queixando das férias, não. A verdade é que os últimos meses por aqui foram meio atribulados. Aliás, gostaria de saber quando é que a vida de uma mãe não é atribulada. Acampamento? Internato? Intercâmbio?

Enfim, começou no feriado de primeiro de Maio e não deu sossego até quase agora. Apostei nas férias, em um lugar com ar puro, comidinha mais fresquinha e natural, mas… nada!!! As crianças engataram uma doença na outra… desde Maio!

A indústria farmacêutica tá felizona comigo, foram litros de anti-térmico, anti-alérgico, remédios para o nariz, para enjôo, pomadas mil e até antibiótico. Eu chego na farmácia da esquina, onde sou cliente VIP, e recebo olhares de pena dos funcionários. Eles já devem saber os dados dos meus filhos de cabeça: nome, idade e peso para preencher as receitas médicas mais hardcore. O próximo passo é vender antibiótico sem receita e sem desconfiança, afinal sou uma mãe de 3 filhos que compartilham vírus e bactérias non-stop!

Já culpei a vacina da gripe e a sua não confirmada cientificamente reação. Já investi em fitoterápicos. Assim como em vitaminas. Agora vou apelar para o Papa Francisco, que ele sim é bom milagres!!

Tem gente que acha que o inverno deixa as pessoas mais elegantes. Eu discordo. Acho de uma deselegância sem tamanho ficar em ambientes fechados, com temperaturas baixíssimas, compartilhando doença. Como é que a gente cumpre aquela famosa recomendação dos ambientes arejados???

Como se não bastasse tudo isso, perdi toda a minha dignidade tirando carrapato da família inteira após um passeio a cavalo em um hotel fazenda. Família inteira, gente! Arrancando carrapato de lugares impublicáveis nesse blog de família. Se escapava um, ele já saía botando ovo e se multiplicando. Entendi na pele o conceito de praga. E de filho criado nos moldes urbanos:

- Olha, Mamãe, achei um tatu-bola no tapete da nossa sala!

- Larga isso, Joaquim, é um carrapato gigante!

Enquanto um confunde tatu-bola com carrapato, tem um outro que me avisa quando está com febre.

- Mamãe, a minha testa tá quente.

Termômetro velho de guerra apitou nos 38 graus. Obrigada pela ajuda, Pedro.

E assim foi. Ou tem sido? Não passei um dia sem dar um beijinho disfarçado na testa dos meus filhos a fim de conferir a temperatura deles para então confirmar com o termômetro que, aliás, é um sobrevivente dessa época sombria. Aguentou firme, forte e trabalhou mais do que a minha máquina de lavar roupa!

*****

Mas e com vocês, tudo bem?

Um segundo semestre cheio de saúde para todos nós!

Dê sua opinião também » 6 já comentaram.


  • Julia Costa

    Camila, que bom que está de volta! Estava com saudade dos seus posts e dessa família “barulhenta”! ;) Tudo bem por aqui. O inverno também está me deixando louca com essas doenças que não vão embora. E olha que lá em casa é só um, hein. Beijos para vcs!

    http://www.lulueeu.blogspot.com

  • Aletheia Gouvea

    Camila, apesar de trágico morri de rir ao ler seu post, só acontece estas coisas nas melhores famílias. E não ache que é as doenças são privilégios de quem está no frio, aqui no nordeste é quente em qq estação do ano, mas nesta época de férias as viroses circulam soltas também. Eu dei graças a Deus por ter chegado segundo semestre pois com trigêmeos minha vida melhora significativamente, pois quando um adoece sei que os outros dois também irão adoecer , e quando o último ficar bom as vezes o primeiro fica doente de novo. loucuuuuuuura!!

    beijos para esta família divertida d+
    Teka
    is it illegal to buy viagra online

  • Karin – Mamãe & Cia

    Carrapato gigante… socorro!! hahaha
    Fui obrigada a rir dessa!

    Nossa menina, espero que até agora seus filhos já estejam melhores. Eu com um já fico em uma aflição, imagino você com três!

    Beijos
    Karin

  • Marlene Casagrande Bortolin

    Muito divertido seu post, se não fosse trágico, claro! rsss
    Com a gente tudo bem, filha com sinusite atacada, marido gripado, tudo igual, só muda o endereço!!!
    Bjo e bom semestre pra vcs tbem!!

  • http://www.paisqueeducam.com.br Pamela Greco

    Eu não sabia se ria ou se chorava com seu post, mas uma coisa é fato: Me apaixonei pelo seu blog :D

  • Engraçadinha Pracaramba

    Menina, tô chocada em como a gente se parece e escreve parecido. Tenho 3 também, mas gêmeos não tive. Tiro meu chapeu pra vc que nesse quesito é mais guerreira que eu.
    Juro, depois de te ler, vou parar de reclamar da vida.
    E parabéns, seu blog é o máximo e eu vou te linkar.
    Bjs.