DISNEY: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO

Organização e planejamento são os sobrenomes da nossa família. Assim, os meses que antecederam a nossa viagem e os 10 dias que passamos em Orlando não negaram a nossa fama. Nem sempre é assim ou precisa ser assim, mas preferimos fazer dessa forma visando o melhor aproveitamento das férias com 3 crianças. Vamos por tópicos:

- tendo conseguido as passagens (não foi fácil, rendeu uns bons 6 meses de visitas diárias ao site da TAM, já que emitimos as passagens com milhas), parti para as reservas mais importantes: hotel, almoços e jantares com os personagens Disney e horário no Bibbidi Bobbidi Boutique para a transformação em princesa da Manu. O hotel foi tranquilo e deu certo, almoços e jantares com os personagens nem tanto. Nada de princesas! Tudo lotado! O único restaurante que conseguimos com personagens foi o Crystal Palace no Magic Kingdom, onde encontramos o Ursinho Pooh e a sua turma. Como comentei no post anterior, a comida era ruinzinha, tudo meio “muvucado”, mas as crianças curtiram a oportunidade de almoçar com esses personagens, tirar fotos e pedir autógrafos. Quanto ao Bibbidi Bobbidi, só consegui agendar no Downtown Disney, no castelo foi impossível. Pretendo fazer outro post para falar mais sobre isso, mas por enquanto deixo a minha opinião de que deve ser muito mais legal fazer a transformação no castelo dentro do Magic Kingdom e, para isso, são necessários 6 meses de antecedência para o agendamento. Os almoços e jantares com personagens mais disputados, como as princesas, também exigem mais ou menos esse tempo de antecedência. Como eu comecei a fazer tudo 3 meses antes da viagem, data em que emiti as passagens, não consegui.

Por essas carinhas, vale até uma comida mais ou menos…

- Fiquei preocupada com as crianças no voo mais longo da vida delas até agora: 9 horas! O que fazer? Vão dormir? Vão brincar? Vão correr? Gritar? Chorar? Preparei uma mochilinha para cada um, como já havia feito antes, e enchi de gibis, revistinhas de pintar, os brinquedinhos mais queridos e, no fim, foi tudo uma bobagem. Eles nem abriram as mochilas! Ou melhor, abriram para comer o lanchinho que eu também coloquei lá. Entendi que na idade em que estão – 4 e 5 anos – a televisãozinha individual foi uma super atração e distração para eles. Cada um com a sua, com o seu fone e podendo escolher os filmes que quisessem, sem as negociações que rolam aqui em casa cada vez que resolvo colocar um filme à noite para os 3. A TV foi suficiente, a programação de filmes infantis era bem boa, eles tiraram um cochilinho e foi tudo bem mais tranquilo do que eu havia imaginado. Outra decisão que tomamos foi de escolher voos diurnos para a ida e para a volta. Maridinho e eu não conseguimos dormir em avião, ou melhor, na turma do fundão do avião. Por isso, optamos por viajar durante o dia e chegarmos todos inteiros e bem mais descansados. Todo mundo precisou acordar cedo para ir e voltar, garantimos um cochilinho depois do almoço no avião e chegamos super bem! Bem melhor do que chegar cedíssimo em Orlando com 3 crianças a mil e tendo passado a noite em claro durante o voo. Funcionou muito bem.

- As nossas viagens costumam ser feitas por nossa própria conta através dos recursos mil da internet. Porém, dessa vez, optamos por uma agência pelos seguintes motivos: (1) maior garantia de tudo o que foi contratado e reservado, (2) sair do Brasil e chegar nos parques com todos os tickets em mãos e (3) não pagar os 6% de IOF nas transações internacionais com o cartão de crédito. Utilizamos a agência para reservar o hotel, alugar o carro com GPS no aeroporto (as cadeirinhas alugamos na hora, no balcão da locadora), comprar todos os ingressos do parque e contratar os seguros-viagem. Agora, o jabazinho para a família: fizemos tudo através de uma agência TAM Viagens, que é de uma prima minha. Ela foi uma fofa e nos ofereceu um atendimento excelente e super personalizado. Quem tiver interesse, é só avisar pelos comentários e eu passo o contato.

- Acompanhei com antecedência a previsão do tempo para o período em que ficaríamos em Orlando. Também foi importante na hora de fazer a mala, principalmente porque pegamos tempo frio nos primeiros dias (em torno de 11 graus de manhã) e calor nos últimos. Isso me obrigou a colocar casacões de frio, bermudas e shorts na mala. Roupas para temperaturas diferentes, mas estávamos bem preparados. Dica: independentemente da temperatura, recomendo o uso dos protetores solar e labiais.

- Descobri alguns aplicativos específicos para a Disney, baixei no Iphone e usei o tempo todo. Eles oferecem os mapas (não usei muito, ainda prefiro os mapas de papel em mãos…), os horários em que os parques da Disney abrem em fecham a cada dia, previsão do tempo, telefones importantes e, o meu preferido, a previsão de tempo na fila para cada brinquedo!! Isso foi realmente muito útil e era o nosso maior guia quando entrávamos em cada um dos parques. A gente procurava ver quais os brinquedos mais lotados, para pegar o FastPass (assunto para outro post), e os mais vazios, para poder ir com tranquilidade. Dessa forma, evitamos tanto as insuportáveis filas, quanto a perda de tempo percorrendo longas distâncias com 3 crianças dentro de um parque gigante, correndo o risco de dar de cara com um brinquedo super cheio. Normalmente, Maridinho ia até o brinquedo lotado, pegava o FastPass e voltava para nos encontrar. Enquanto isso, eu ficava com as crianças em alguma fila pequena e razoável para tirar foto e pegar autógrafo dos personagens. No entanto, para usar esse aplicativos, é necessário ter o pacote de dados internacional para celular. Eu acabei contratando da minha operadora no Brasil mesmo, não é barato, mas foi de uma utilidade sem tamanho, valeu o investimento! A Disney está oferecendo WIFI nos parques e eu até usei, principalmente no Magic Kigdom e no Epcot, mas não está 100%. O 3G (que lá é 4G, chique!) acabou sendo mais usado. Parece que há a possibilidade de comprar um chip um uma loja da operadora de lá, a AT&T, usar no celular daqui e reduzir esse custo. Até fui atrás e pesquisei um pouco essa opção, mas não tem tantas lojas AT&T por lá, achei que seria mais complicado e contratei do Brasil mesmo para não ficar na mão.

Os queridos apps!!

- Outro recurso utilizado pela louca da organização aqui era entrar no site, na noite anterior, do parque que seria visitado no dia seguinte. Dessa maneira, eu conseguia saber quais eram os brinquedos, parquinhos, shows e desfiles apropriados para as idades e alturas dos meus filhos. Os brinquedos, especialmente os mais radicais, têm uma régua na entrada para medir as crianças. Se a criança não atinge a altura determinada, nem adianta, ela não vai poder entrar no brinquedo. Essa informação através do site já me dizia quais atrações eles poderiam ou não ir. Eu sabia disso antes mesmo de embarcar, então tratei de medir os 3 aqui em casa, converti a altura em metros e centímetros para o sistema de lá (feet) e só de ver no site, já sabia dizer o que dava e o que não dava. Foi outra forma de evitar ficar circulando pelos parques enormes, chegar em um brinquedo e não poder entrar. Tudo planejadinhos nos mínimos detalhes! (Depois falo sobre os parques que escolhemos visitar e os respectivos sites. Mas a seção para esse tipo de informação – altura permitida nos brinquedos – chama-se “attractions“).

- Além disso tudo, o básico do básico é entrar nos parques, pegar um mapa (são oferecidas versões em Português), pegar um Times Guide, um folhetinho que oferece os horários dos show e desfiles, traçar um roteiro e se divertir muito!

Meninos, localizem-se!!

(Em breve, novos posts com mais um tanto de assunto para compartilhar!).

Dê sua opinião também » 4 já comentaram.


  • http://www.facebook.com/natalialippolis Natalia L. P. Almeida

    Camila! Que legal! Olha, eu já fiz essa viagem 4 vezes, rsrs, abafa, duas vezes eu era criança e depois agora , q era uma vontade imensa, sonho de criança do Rodrigo, meu marido. Fomos pra comemorar o primeiro ano do Gabriel e depois voltamos em setembro (2011), eu grávida de dois meses do Lucas, enjoando no Magic Kingdom, olha q fina, rsrs. Não usei nenhum app, amei as suas dicas. Por sinal, se vc puder me passar o contato da sua prima pras minhas próximas viagens, será ótimo. Gente q entende do que é viajar com criança, reserva da poltrona da frente, comida, aquela festa toda. Parabéns por sua linda família! E aí, vai tomar coragem pra mais um filhinho? Um abraço!

  • http://www.mamaetaocupada.com.br/ Mamãe tá Ocupada!!!

    Opa! Segue o contato da Renata, minha prima: renata.colla@agentetamviagens.com.br
    Bjos!!

  • Bruna Monteiro

    Camilaaa.. quanto tempo! :)

    Menina, próxima vez que for a Disney com as meninas passarei por aqui.

    Mais detalhado: IMPOSSÍVEL!

    Parabéns!Bruna

  • Renata Colla Bufarat

    Oi Prima!!! Tudo bem? Obrigada pelos contatos, vários fãs do seu blog, tem entrado em contato comigo. Dentro do que vc escreveu acima, acabei de voltar da Disney e agora o Wi-Fi está funcionando super bem nos 4 parques da Disney ( nos demais parques não tem). E, além disto, podemos baixar o app. My Disney Experience no celular e cadastrar o número do ingresso do parque da Disney neste aplicativo. Desta forma, todas as pessoas do seu grupo ficam cadastradas junto e durante o dia podemos marcar o fast pass ( sem custo) pelo celular, reagendar os horários, se necessário, agendar alguma refeição no parque, ter acesso aos mapas de cada parque, descritivo dos brinquedos! Muito bacana o app e a tecnologia utilizada. Fica a dica para as próximas viagens sua e de seus leitores! beijão