Ciúmes do Papai

Manuela tinha exatamente 1 ano, 1 mês e 1 dia de vida, meio dente na boca e meia dúzia de fios de cabelo na cabeça. Usava um vestido de veludo lindo de morrer: fundo branco, flores em cinza. Meia-calça de lã branca e um mantô acompanhavam, pois estávamos em uma noite de Julho, num inverno frio e a ocasião específica era o aniversário do Maridinho.

Apesar de ser o aniversário do pai, Manuela reinou absoluta por todas as suas gracinhas, pelo modelito, pela decoração no topo do bolo e por ser a única da criança da família. Eu me resumia a uma barriga de 34 semanas de gêmeos, um nariz de batata, uma legging e um camisão bem solto. Coisa linda de ver.

Ela cantou parabéns no colo do pai e, sendo bem sincera, não me lembro se bateu palminhas, mas encantou a todos de qualquer forma. Assim que terminou o parabéns, Maridinho assoprou as velas e, em seguida, dei-lhe um beijo e um abraço de feliz aniversário. Foi exatamente nesse momento que a Manu me empurrou pela primeira vez, na tentativa de afastar-me do Papaizinho (só) dela. A cara típica de braveza e a primeira reação de ciúmes.

Muitas outras vieram com os mais de 4 anos que se passaram desde essa cena. Hoje, com “certa maturidade” já não me empurra mais, mas está sempre se enfiando no nosso “meinho”.

*****

Comprei um par de raquetes de frescobol e uma bolinha. Eu adoro jogar frescobol e, modéstia à parte, jogo bem pra caramba. Confiei na “maturidade” dos meus filhos, na praia vazia e na capacidade de entretenimento deles por baldinhos, pazinhas e tralhas afins que costumamos levar para a praia. Aproveitei um momento tranquilo das crianças e chamei o Meu Marido para estrear as novas raquetes.

Os meus filhos imediatamente pararam a brincadeira do momento para observar o que aqueles dois adultos ousaram fazer. Ok, o Joaquim e o Pedro curtiram assistir à partida dos pais. Filhinhos da Mamãezinha que são, desenharam bandeiras em minha homenagem na areia e gritavam na torcida:

- Mamãe! Mamãe! Mamãe!

Já a Manu, meu Deus! As raquetes e a bolinha despertaram a ira da menina. Com a mesma cara de brava de sempre, ela passava no meio do jogo, apesar de ter sido advertida do risco de levar uma bolada na cabeça, me empurrava (hello, 1 ano, 1 mês e 1 dia de idade!), dizia que estava com sede, com fome, com frio, com calor, cansada, com vontade de ir ao banheiro e de ir embora, pois estava tendo “o pior dia de sua vida”.

Afinal, como é que esses caras têm coragem de ficar frente a frente, rebatendo aquela bolinha sem parar, concentrados no jogo e apenas no jogo e, o pior, se divertindo?

Em menos de 10 minutos, ela me venceu:

“- Ok, sua Ciumentinha, pode jogar com o Papai”, disse-lhe entregando a raquete e os pontos.

Ela aceitou a raquete e me respondeu:

- Sua Namoradeira!

(Freud debate-se no túmulo e me grita: “EU JÁ SABIA!!”).

Cara de brava que sempre nos acompanha. Seja por não poder ficar com a clutch da Vovó ou com o Papai!

 

Dê sua opinião também » 6 já comentaram.


  • Andreia Cristina

    Puxa, bravinha e ciumenta!
    Bj!

  • Maria Helena

    Hahahaha como mãe de menina que sou, socorro! Olivia ainda não demonstra tanto ciúmes do papai comigo. Mas se alguém deitar no meu colo, ela tira. Na hora e na marra. Da cachorra à vovó! Mas estudei psicologia né, sempre soube o que me aguarda… A rotina aqui vai mudar a partir de segunda, depois de quase 11 meses o pai vai voltar a ficar o dia todo fora, todo dia. Já me preparei pra ficar com ela semana que vem e segurar o rojão, quero só ver!

    Beijo
    MHelena

  • http://www.pequenoguiapratico.blogspot.com/ Mari BZ

    “o pior dia da minha vida”, HAHAHAHAHHAHAHA! Que malandra!
    Alice, pequetita, às vezes me mandava sair do quarto para ficar sozinha com o pai. Eu tentava me aproximar e ela: “mamãe, na porta!”, hahaha. Mas passou, o grude dela ainda é comigo. Já Lucas é doido pelo pai e não me dá a menor bola quando ele tá perto. Justiça divina?
    Beijo!

  • Juliana Brito

    hahahahahaha eu, como boa estudante de psicologia que sou digo que complexo de édipo explica.Super normal, natural! mas existe uma coisa chamada esqueminha da família, composto por mamãe-papai e embaixo filhinhos! manu precisa entender que mamãe e papai tem sua relação de casal assim como voces tem sua relaçao de pais com os filhos. Importante ressaltar isso! filhos no lugar de filhos, nada de interromper programas de casal por conta desse tipo de ciume. Se algum dia o escandalo ficar brabo voce pode explicar pra ela que um dia quando crescer e tiver o namoradinho dela vai poder fazer o mesmo :)

  • Equipe Babycub

    hauhuahauhahahuhauuhauhauhauhuah, ela é muito engraçada! Que fofinha, morre de ciúmes do papai, mas na maioria dos casos é assim, as meninas são mais ligadas aos pais e os meninos mais ligados as mães.

    Adorei o post!!

  • Pingback: Ciúmes de criança : Blog Saúde Infantil

  • http://www.facebook.com/camila.patinha Camila Patinha

    sempre aparece esssas fase na vidinha delas, que bate uma ciumeira uma aproximação mais  do papai, mais depois passa e volta a ficasr nas azas da mamãe.